Feliz Ano Novo


Começamos por dizer, Shana Továh, mas também dizemos Feliz Ano Novo, visto como todos já devem ter percebido, é a palávra hebraica para o Ano Novo do calendário Gregoriano, e é também a festa do HAVDALÁ - a cerimônia do fim do Shabat , assim fazemos duas festas em nossas casas, com a tradicional esperança, sorrisos nos rostos, mas não podemos deixar de pedir nesta data a HaShem para que mais um ano cuide de nós nos dê a sua luz, no envie a sua paz e bençãos, não apenas para nós e nossas famílias mas para todo o mundo que carece de uma forma ou de outra, de um mundo melhor com mais fé, fraternidade e paz.


Shabbat Shalom Ve Shana Tová

Descoberta uma comunidade judaica do Séc. XVII


Pesquisadores portugueses descobriram numa casa de Lourosa de Besteiros, em Tondela, 3 frases escritas na pedra e que antes estavam tapadas por camadas de argila durante 400 anos, e que fizeram crer tratar-se do nicho apropriado para a colocação de mezuzás, o facto que se repetiu em mais casas da aldeia levou os dois investigadores entre eles Luís Filipe Pereira juntamente com António Domingos Pereira, professor de história,  a levantarem a hipótese de ali ter sido uma importante comunidade judaica.
A notícia percorreu o país através da sua edição no "Diário das Beiras" onde as frases foram reveladas como sendo as seguintes: “Quem enfraqueceu a Sansão”, “E desacreditou a David”, “E fez néscio a Salomão” sendo que depois da descobertas das frases, apoiados por imagens recolhidas na aldeia de Lourosa de Besteiros, defenderam a tese de que, pelo menos ao longo do século XVII, ali existiu uma importante comuna judaica que estaria assente na existência de um complexo social, comunitário e administrativo composto pela sinagoga, tribunal, cadeia e o cemitério judaicos.
Estas descobertas e teses vêm a comprovar que de facto há uma grande parte da população portuguesa que descende direta e indiretamente de judeus, calcula-se que se trate de 20% da população portuguesa com ascendência judaica.

A Bíblia de Cervera no Metropolitan de Nova Iorque


A famosa Bíblia Medieval de Cervera – que pertence ao espólio da nossa BN Biblioteca Nacional – é a peça central de uma exposição O códice é formado por 451 folios (a 2 colunas, 31 linhas) profusamente iluminado a ouro e cores com motivos de arte moçárabe e da religião judaica, compreendendo os livros do Antigo Testamento, a  massorah (exame crítico do texto da Bíblia, com notas sobre a escrita, vocabulário, pronúncia e outros comentários) e um tratado gramatical por Rabi David Qimhi (1160?-1235?)..
Segue o link da BN em Lisboa, com informação detalhada e um outro, do Metoprolitan, com uma exposição virtual da obra.
Biblioteca Nacional de Portugal ver Aqui.
Metropolitan Museum of New York, ver Aqui.

Este foi concerteza o Hannukáh das suas vidas


Mesmo em circunstâncias tremendas, os judeus nunca deixaram de acreditar no milagre da vida, da beleza da luz e do seu poder espiritual, em comparação com a escuridão, sombra e morte.
Nesta imagem podemos observar o acendimento das luzes em Chanuká, algures num dos muitos guetos da Polónia ocupada.
Este foi concerteza o Chanuká das suas vidas.

Jogo de Damas (um pequeno conto)


Num dos dias de Chanuká, o rabino Nahum, filho do rabino de Rizhin, entrou na sinagoga e encontrou os seus alunos a jogar às damas, como era costume naquele tempo. Quando viram o rabino, envergonharam-se e pararam de jogar. Mas o rabino Nahum sorriu e pediu-lhes que prosseguissem: “Sabem que as regras do jogo de damas são muito parecidas às regras da vida? Pois reparem: a primeira é que não se podem fazer duas jogadas ao mesmo tempo. A segunda regra diz que apenas se pode andar para a frente, e nunca para trás. E, por fim, quando se chega à última casa, alcança-se o dom de poder finalmente andar em qualquer direcção.”

Rabino Nahum de Stepinesht (Ucrânia, século XIX)
in Die Erzählungen der Chassidim (As Lendas dos Hassidim), Martin Buber, 1949.

Começou a Festa de Hanukkah 2011


O Hanukkah de 5772 ou 2011, começou a ser preparado e é hoje iniciado em todo o mundo, segundo o calendário hebraico, 24 de kislev, Yom Shelishi (terça-feira) à noite acende-se a primeira vela da Menorah Hanukkiah, que é a vela auxiliar para acender as outras oito e a essa vela chamamos de "Shamash". A cada dia acender-se-á uma vela da Hanukkiah até ao oitavo dia que termina a Hanukkah.
Em todo o mundo, Rabis e membros das municipalidades. participam na preparação da montagem e acendimento das Hanukkiahs espalhadas por todo o mundo onde a comunidade judaica é significante. No Brasil, EUA, Alemanha (ver foto) Reino Unido entre outros, claro sem falar em Israel a nossa Terra-Mãe.
Na Alemanha a Hanukkiah foi instalada próximo a uma árvore de Natal de 17 metros de altura, decorada na semana passada no entanto o mau tempo na Alemanha, que já matou oito pessoa, tem afastou tanto curiosos locais como turistas, quer judeus ou não, de qualquer forma poder-se-á ver de algumas casas a Hanukkiah instalada na praça do Portão de Brandemburgo, onde oito rabis enfrentaram o frio e neve para dar alegria aos 200 mil judeus alemães.
Dreidels
A história da Hanukkah, está ligada ao domínio grego que impôs, após uma guerra sanguinária, perseguições severas contra os judeus, proíbindo a religião e queimando rolos da Toráh, provocou ainda a "Desolação da abominação" ao colocarem imagens de idolatria dentro do Templo sagrado.
Macabeu libertou Israel e retirou do Templo as imagens de idolatria, fez um novo menoráh de metal menos nobre, mas com uma ânfora com azeite para um dia fez-se o milagre de as luzes da Menoráh durarem oito dias. Daí as oito velas
mais a chumash que formam a Hanukkiah.
As Crianças costumam brincar com Sevivons ou Dreidels, piões com letras hebraicas, e essas letras são o נ Nun de Nes = milagre; o ג Guimel de Gabol = Grande; o ה Hey de Haya = Foi ou Era e o ש Shin de Sham = Lá, juntos formam a frase: "Um grande milagre aconteceu lá".
Sofganiot, bolos de Hanukkah
Para além disso dá-se às crianças prendas e também dinheiro o chamado Dmei Chanukkah דמי חנוכה ou dinheiro de Hanukkah, em idish dis-se Chanukkah Guelt.
As crianças comem doces e em especial um bolo chamado "Sufganiot" uma especie de Berliner com creme, que somando ao ambiente festivo, familiar e religioso tornam o Hanukkah uma festa com um grande sentido de identidade judaica desde a tenra idade.

Feliz Hannukah 5772 a Todos


São os votos do blog "Conhecer o Judaísmo" a todas as famílias, a todas as comunidades judaicas do Mundo, de Israel as antípodas da Nova Zelândia, a todos as judias e judeus de língua Portuguesa, em todos os continentes.
O Hanukkah de 5772 ou 2011, começou já a ser preparado e é iniciado em todo o mundo, segundo o calendário hebraico em 25 de kislev (20 de Dezembro), Yom Hamishi (segunda-feira) à noite acende-se a primeira vela da Menorah Hanukkiah, com a vela auxiliar para acender as outras oito e a essa vela chamamos de "Shamash". A cada dia acender-se-á uma vela da Hanukkiah até ao oitavo dia que termina a Hanukkah.
Dreidels
As Crianças costumam brincar com Sevivons ou Dreidels, piões com letras hebraicas, e essas letras são o נ Nun de Nes = milagre; o ג Guimel de Gabol = Grande; o ה Hey de Haya = Foi ou Era e o ש Shin de Sham = Lá, juntos formam a frase: "Um grande milagre aconteceu lá".
Para além disso dá-se às crianças prendas e também dinheiro o chamado Dmei Chanukkah דמי חנוכה ou dinheiro de Hanukkah, em idish dis-se Chanukkah Guelt.
As crianças comem doces e em especial um bolo chamado "Sufganiot" uma especie de Berliner com creme, que somando ao ambiente festivo, familiar e religioso tornam o Hanukkah uma festa com um grande sentido de identidade judaica desde a tenra idade.


Oseh Shalom - עוֹשֶׂה שָׁלוֹם.

Em 1984, após assistir a um noticiário de televisão na BBC por Michael Buerk sobre a fome que atingia a Etiópia, Bob Geldof ficou tão comovido com o sofrimento das crianças famintas que decidiu tentar arrecadar dinheiro usando seus contatos na música pop.
Geldof pediu ajuda a Midge Ure, do Ultravox grupo, para ajudar a produzir uma instituição de caridade registo.
Ure tomou letras Geldof (Feed the World), e criou a melodia e música de fundo para o registro. Geldof chamou muitos dos artistas mais populares britânicos e irlandeses do tempo e persuadio-os a dar o seu tempo livre. Seu critério de seleção foi ser famoso como eles eram, de modo a maximizar as vendas do registro. Ele, então, manteve uma nomeação para aparecer num programa da BBC Radio 1, mas ao invés de promover seu próprio material como planeado, ele anunciou o plano de Band-Aid.
O estúdio de gravação deu à Band Aid mais de 24 horas livres para gravar e misturar o registo em 25 de novembro de 1984. A gravação ocorreu em onze horas - sete horas no estúdio Sarm Oeste, em Londres, e foi filmado pelo diretor Nigel Dick para ser lançado como um vídeo pop. As filmagens no início foram levadas à pressa para a redação em que foi ao ar enquanto o restante do processo de gravação contínuou.
O single original foi produzido por Midge Ure, com a versão 12 "sendo misturado e produzido por Trevor Horn. 
Assista ao documentário sobre o making of Band Aid no YouTube

A ideia por trás da música nova para Oseh Shalom foi, nas palavras de seu compositor Stephen Levey ", para escrever uma peça que iria apelar a todos, com palavras que são bem conhecidas e com uma música que pudesse ser cantado facilmente". A canção foi escrita como uma oração pela paz para o 60 º aniversário de Israel e foi caracterizado como uma nova composição do rabino-chefe de "Home of Hope" CD. O rabino-chefe queria imagens para acompanhar algumas das músicas do CD. Enquanto que na recente "Solidariedade através da música" missão de Israel (onde o coro cantava para Shabbaton pessoas nas cidades de Sderot e Ashkelon), o rabino-chefe Stephen pediu a considerar como ele visualizaria Oseh Shalom para ser como um filme. Ao ver e ouvir a resposta foi positiva para a música, tanto em Israel como no Reino Unido, Stephen sentiu que poderia ser filmado como um hino no estilo do "Band Aid" de vídeo.
Este foi fortuita, como o diretor musical de Band Aid, Trevor Horn, tinha sido instrumental (literalmente) na organização de algumas das músicas no CD. Mais uma vez ele ofereceu, muito generosamente, para produzir a faixa em seu estúdio estúdio o mesmo em que Band Aid foi gravada 24 anos antes. A gravação ocorreu em 30 de abril de 2008 com solistas Jonny Turgel, Craimer Shimon e Lionel rabino Rosenfeld, O Coro Shabbaton, crianças de escola de Londres do dia Moriah judeu e O rabino-chefe si mesmo. O filme foi produzido e dirigido por Adam Cohen.

Retirado do site "Home of Hope"

Coro do Templo Maior de Roma - 21 Novembro

O Ministério da Cultura do Brasil, o Centro de Cultura Judaica e o Museu Judaico do Rio de Janeiro em conjunto apresentam o "Festival - Reinventando o Ritual / Música Liturgia Judaica, tendo como apresentação inédita o "Coro del Tempio Maggiori di Roma" - Coro do Templo Maior de Roma, na programação do Momento Itália Brasil 2011/12, tendo a atuação do Coro a direção do maestro Cláudio di Segni, que atuará no dia 21 de Novembro, pelas 20:00 hs, no Grande Templo do Rio de Janeiro, sendo a entrada gratuita.

Os Convertidos



    O Judaísmo acolhe de facto os convertidos. Na verdade, eles são particularmente queridos aos olhos de Deus. A sua virtude não reside tanto no facto de aceitarem a fé judaica, visto que os homens podem esperar a salvação na sua própria religião; mas no facto de aceitarem sobre os ombros o fardo especial do destino dos Judeus e a obrigação de se incorporarem num povo de sacerdotes, «filhos de Abraão» por eleição e por adoção.

    «Não haverá para vós senão uma só lei, tanto para o estrangeiro como para o natural da terra» (Nm 9, 14). (Para os rabis, «estrangeiro» tem o sentido de «prosélito».) Assim este versículo ensina que para a escritura o prosélito é igual ao Judeu por nascimento naquilo que diz respeito a todos os mandamentos da Torah.

    Um prosélito que o seja por sua livre vontade é mais precioso para Deus do que todos os Israelitas que se apresentaram perante Ele no monte Sinai. Se os Israelitas não tivessem sido testemunhas dos travões, dos relâmpagos e dos abalos das montanhas e do retinir das trombetas, não teriam aceitado a Torah. O prosélito, que não viu qualquer dessas coisas, veio e deu-se por si mesmo ao Deus santo e único – bendito seja o Seu nome – e tomou sobre si o jugo do Céu. Quem poderá, pois, mais do que ele, ser precioso aos olhos de Deus?

Fonte: HERTZBERG, Arthur, Rabi do Templo Emanuel, Englewood, Nova Jérsia, JUDAÍSMO, Editorial Verbo, 1981

enviado pelo Chaver Carlos Baptista da Comunidade Masorti de Lisboa.

Danny Kaye - Cidadão do Mundo



Danny Kaye, de seu nome original David Daniel Kaminsky, nasceu no seio de uma família judaica, em Nova Iorque, a 18 de Janeiro de 1913, vindo a falecer em Los Angeles, com 74 anos a 3 de março de 1987.

Filho de judeus, de origem ucraniana, seu pai foi um alfaiate, Danny Kaye iniciou sua carreira artística no circuito judaico de estâncias de veraneio, nas proximidades de Nova Iorque.
Casou-se em 1941com Sylvia Fine, uma pianista, autora de vários temas musicais que foram usados nos filmes que lhe deram fama e protagonismo como ator e humorista.
Em 1944 estreou em Hollywood o filme " Sonhando com os Olhos Abertos". Por mais de uma década foi considerado um dos melhores comediantes do cinema americano.
Danny Kaye morreu na pobreza, vítima de hepatite e de uma hemorragia intestinal. Após a sua morte, foi considerado pela UNESCO cidadão do Mundo, devido não só ao facto de ter sido artista, mas também por ser filantropo, tendo em vida ajudado muitas instituições de caridade.
Filipe de Freitas Leal


Shimon Peres: "O Irão é um perigo Nuclear"


        O presidente da República de Israel, Shimon Peres, afirmou recentemente, quando questionado por jornalistas, se algo está a fazer com que uma opção militar seja tomada por Israel contra o Irão, ao invés da ação diplomática, "Acredito que sim, estimo que os serviços de inteligência de todos esses países estão vendo o relógio correr, alertando os líderes de que não resta muito tempo. O Irão está cada vez mais próximo de desenvolver armas atómicas. O que precisa ser feito deve ser feito", afirmou peremptoriamente Shimon.
           Por outro lado, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, também criticou o comportamento do Irã:“Seu desejo obsessivo para adquirir capacidade nuclear militar são uma violação a todas as regras internacionais. A França condena com firmeza a falta de respeito a estas regras e não ficaria de braços cruzados em caso de uma ameaça ao Estado de Israel”.

Gilad Shalit Regressou a Israel


        Após 5 anos de cativeiro na Faixa de Gaza, tendo sido raptado em 25 de Junho de 2006, pelo movimento radical islâmco Hammas, o soldado israelita Gilad Shalit, pode por fim regressar ontem a Israel, para junto dos seus, na cidade natal de Gilad Shalit, em Nahariya, ouviu-se o toque do Shofar para comemorar este dia histórico para Israel e o Povo Judeu.

Lição 4 - Números


Caro aluno (talmid - תלמיד), depois de aprender cada letra (Ot - אות), as vogais (nekudot - נקודות), deve já ter sentido a necessidade de aprender a contar os números em hebraico, não é mesmo? bem deixe dizer-lhe uma coisa, no hebraico moderno os números são iguais aos do ocidente como 1,2,3,4,5..., mas no hebraico antigo, ou melhor dizendo no hebraico bíblico os números eram feitos pelas próprias letras, assim é como se o A fosse o 1, o B fosse o 2, o C fosse o 3 e assim sucessivamente, temos pois que no hebraico cada letra tem um valor numérico, daí nasceu o estudo da Cabalah e da Guematria ver aqui.
Assim temos as letras e os seus números correspondentes, veja no gráfico abaixo.



Mas o que devemos saber na prática do hebraico do dia a dia, é o um, dois, três, quatro, cinco etc. não é assim? vai ver que não é difícil, basta concentração e perseverança, então vamos lá!

01 um - Achat,
02 dois - Shtayim
03 três - Shalosh
04 quatro - Arba
05 cinco - Hamesh
06 seis - Shesh
07 sete - Sheva
08 oito - Shmone
09 nove - Teisha
10 dez - Esser
11 onze - Achat Esre
12 doze - Shtem Esre
13 treze - Shlosh Esre
14 quatorze - Arba Esre
15 quinze - Chamesh Esre
16 dezasseis - Shesh Esre
17 dezassete - Shva Esre
18 dezoito - Shmona Esre
19 dezanove - Tsha Esre
20 vinte - Esrim




II Festival Internacional da Memória Sefardita



O II Festival Internacional da Herança Sefardita é composto por um conjunto de actividades que decorrem na Região da Serra da Estrela e em Lisboa, de 18 a 21 de Setembro, tendo começado ontem (domingo e estende-se até quarta feira).
Estará presente no Festival a Loja Judaica de Portugal, com stand de livros e artigos judaicos.
Para mais informações clique: http://www.festivalsefardita.com/ 

2º Festival de Cinema Judaico de Curitiba

Começou sábado (à noite e depois do Havdaláh) o 2º Festival de Cinema Judaico de Curitiba, inaugurado com a estreia do Filme: "A chave de SarahGilles Paquet Brenner que conta a historia de uma jornalista estadunidense que pesquisou o episódio em que a policia francesa entregara ao nazistas vários concidadãos judeus; Hoje domingo dia 18 de setembro serão exibidos à hora local os filmes: "Irmãos" às 16:30; "Uma centena de vozes - de volta para casa" às 18:30; "Os nomes do amor" às 20:30. Dia 19 de setembro, seguem-se "100 anos de imigração judaica do Leste Europeu ao Brasil" às 18:20; "Rua de Nossa Senhora 4" às 20:30 e no dia vinte nos respetivos horários: "Irmãos"; "Curtas da Universidade de Tel-Aviv" que foram exibidos no festival de Cannes este ano e finaliza com o filme "Avós".
A exibição do Festival será nas salas de cinema Cineplex do Shopping Novo Batel, na Avenida D. Pedro II, no Batel, os bilhetes custam R$ 16 e R$ 10 (promocional).

Marcos Plonka - O Humorista deixou-nos

          
          Faleceu no dia 8 de Setembro, vitima de um ataque cardiaco, o ator e humorista brasileiro Marcos Plonka, nascido em São Paulo no ano de 1939, filho de uma família judaica fugida da Polónia ainda antes da II Guerra Mundial.
          Trabalhou na Televisão Tupi de São Paulo, participou diversos filmes e peças de teatro, atualmente desempenhava o papel do judeu Samuel Bleustein na "Escolinha do Gugu", da Rede Record. A comunidade judaica do Brasil fica assim mais pobre, mas o seu humor e sorriso permanecem conosco.


Shalom Marcos



Lição 3 - Aprendendo a Ler Hebraico


Após aprender o Alfabeto Hebraico e a formação das vogais, através dos sinais gráficos que se colocam abaixo das letras (sinais Massoréticos), vamos então nesta aula 3, aprender a ler as palavras em hebraico.
Não se trata já de aprender significados de palavras, não se preocupe com isso já, o leitor agora, vai se concentrar apenas na capacidade de ler as letras hebraicas, e verá que ao conseguir não vai querer parar; Então vamos lá.
Tal como no português se juntarmos um B + A = BA, como se diz no já famoso "beabá", e assim sucessivamente teremos Ba, Be, Bi, Bo, Bu, ora no hebraico será igual, embora não esquecendo que as vogais não existem, apenas temos de usar os tais sinais massoréticos para formar as nekudot.
Assim se lhe mostrar a letra A + R + I em Português será Ari, que é um nome proprio, correto?
Mas no hebraico não é, trata-se de uma palavra que significa Leão.
Vou aproveitar pois, que esta palavra homofona nas duas linguas, mas com sentidos dispares, seja usada como o primeiro exemplo para o exercício da Leitura. Então temos:
 começar da direita para a esquerda, nunca esquecer disto.
<<<
(formando o som ou Arih = Leãoאריה <= Hei ה <+ Yod י <+ Resh ר <+ Alef א


Foi fácil, não foi? Então vamos a mais exercícios, para pegar o jeito e desenvolver o gosto.
Se em português eu somar as letras D + A = DA, assim teremos Da, De, Di, Do, Du correto?
Se somar ainda mais uma letra D + A + B = DAB, se colocar um C será DAC e assim sucessivamente, como Dab, dac, dad, daf, dag, ... etc.
Vamos prestar atenção ao exemplo Dag, acima, se eu quiser escrever dag em português terei de usar as letras d+a+g, mas no hebraico bastam 2, vejamos:
<<<
(formando o som de Dag = peixe) דָּג <=  Guimel ג <+ Kamatz ָ<+ Dalet דָּ

Agora vamos dar um salto e treinar com mais letras, vai ver que consegue, vamos somar as letras seguintes:
<<<
(Telefon = telefoneטלפון <= Nun sofit ן <+ Vav ו <+ Fei פ <+ Lamed ל <+ Tet ט
(Limon = limãoלימון <= Nun sofit ן <+ Vav ו <+ Mem מ <+ Yod י <+ Lamed ל
(Shalom = paz, olá, adeusשלום <= Mem ם <+ Vav ו <+ Lamed ל <+ Shin ש
(Israelישראל <= Lamed ל <+ Alef א <+ Resh ר <+ Sin ש <+ Yod י
(Brasilברזיל <= Lamed ל <+ Yod י <+ Zain ז <+ Resh ר <+ Beit ב


Primeiras Palavras

Lição 2 - As Vogais (Nekudot - נְקֻדּוֹת)

Abaixo das letras hebraicas podemos ver claramente as Nekudot.
Como havia sido dito na Aula 1, no hebraico não há letras vogais, ou há mas de uma forma diferente, usando-se sinais gráficos em baixo das letras, como o Alef א ou o Ayin ע ou o Vav ו.


Então temos que aprender a formar os sons vocálicos na língua hebraica, como o a, e, i, o e u.
das seguintes maneiras as formas curta, longa, acentuada e suave. Ex â e à; ê e é, etc.
Primeiramente há que treinar os sinais gráficos seguintes, depois os nomes de cada sinal.


As Principais nekudot e suas correspondentes.


Continuaremos ainda nesta semana a desenvolver o tema "As Vogais" Nekudot.









Israelita cria bicicleta de plástico reciclado


Em Jerusalém, o estudante Dror Peleg, da Academia de Arte e Design Bezalel, resolveu criar uma bicicleta sustentável. Designer, ele valorizou, principalmente, duas características: resistência e baixo custo de produção. A invenção, chamada de “Frii”, possui uma estética tão diferente e colorida que mais parece um brinquedo. Com exceção dos pneus, ela é totalmente feita de plástico reciclado, o que a torna mais barata.
Dror Peleg usou a tecnologia de material injetável para dar forma à bicicleta. Uma armação de plástico é colocada em um molde e depois preenchida com o material reciclado. As rodas têm 20 polegadas e garfo curto, o que torna a bicicleta mais resistente. O selim é moldável ao peso do ciclista. Não há sistema de freios, por isso os pedais foram construídos para também ter esta função. Quando os pedais são girados ao contrário, para trás, eles desempenham a funcionalidade de um freio. A produção de bicicleta sustentável e de baixo custo ainda não está no mercado, entretanto, de acordo com a revista “Galileu”, o projeto não é apenas um conceito, as bicicletas estão prontas para serem produzidas.



Retirado do Jornal Judaico "Alef" edição de 12/08/2011

Lição 1 - O Alfabeto

O Alef-Beit - אלפבית


O Hebraico é uma língua semítica da família das línguas afro-asiáticas,  é a língua na qual foi escrita a Bíblia, mais precisamente a Torah e a Tanack, que veio a influenciar toda a civilização ocidental,  e tal como na maioria das línguas orientais, lê-se e escreve-se da direita para a esquerda.
O hebraico teve alguma influencia na língua portuguesa, palavras como Azeite vem do hebraico da Palavra Ha Zeit (o óleo).
O alfabeto "Alef-Beit" אלפבית é composto por 22 letras alfa numéricas, no hebraico os números são as letras e as letras equivalem a números, daí o estudo da Kaballah, que é o estudo do significado numérico das palavras escritas na Torah.
Não há letras minúsculas nem maiúsculas, há vários tipos de letras hebraicas, desde o tipo Rashi, quadrático e também o cursivo que mostramos abaixo, sendo que o cursivo é mais usado em Israel na escrita do dia-a-dia.
Para aprender hebraico o importante é aprender inicialmente a alfabetização, a partir daqui o caro leitor poderá começar a conjugar letras e a ser capaz de ler palavras, tal como fazemos em português. Só há um problema no hebraico não há vogais. Ou há de uma forma diferente.
veja a seguir como se lêem as letras o seu significado fonético. 


א Alef - Não tem som, equivale às vogais "Nekudot"  A, E, I, O, U,
ב Beit - Equivale a B, com o sinal (daguesh) בּ equivale a V ( - Veit). 
ג Guimel - Equivale à letra , mas pronuncia-se Guê como guitarra.
ד Dalet -  D,
ה Hei -  H, equivale ao som de R como em inglês Home, Mas no artigo é forte Rá.
ו Vav - Consoante com som de V, mas pode assumir O ou U como vogal.
ז Zain - Z
ח Het -  H, Som de R forte. RR, rá, ré, rí, ró, rú.
ט Tet - Som de T.
י Yod - Som de Y e I.
כ Kaf - K ou C, com Daguesh assume Chaf כּ sendo que CH aqui é RR.
ך Kaf sofit - É o Chaf, no final da palavra.
ל Lamed - L, como Lá, Lé, Li, Lo, Lu, no fim da palavra é como aL, éL, iL, oL e uL.
מ Mem - M
ם Mem Sofit - M no final da palavra. 
נ Nun - N.
ן Nun Sofit - N
ס Samech - S.
ע Ayn - Letra silenciosa equivale a A, E, I, O e U com os sinais de "Nekudot".
פּ Pei - Equivale a P com Daguesh (פּ - Pei) e a F (פ - Fei) quando sem o sinal.
ף Pei Sofit - Equivale a F, no final da palavra.
צ Tzadik - Tem o som de TZ.
ץ Tzadik Sofit - TZ.
ק Qof - Equivale ao Q.
ר Resh - Tem o som de R como em CaRo, SenhoR, OleiRo, é palatal e gutural.
ש Shin - Igual a SH com sinal à direita שׁ , quando à esquerda é o (שׂ - Sin) S.
ת Tav - É a última letra e tem som de T.


Nas imagens abaixo verá o valor numérico de cada letra hebraica e a escrita cursiva.
No fim poderá ver os dois videos anexados sobre o alfabeto hebraico.

Cada letra hebraica corresponde a um número indicado abaixo.

Cantilena das Letras Hebraicas.


Lição 1 - O Alfabeto


Lição 1 - Parte 2



A Próxima Lição: As Vogais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores