Feliz Purim 5771 / חג פורים שמח



Neste feriado, comemoramos a salvação dos judeus cativos na Babilónia, que corriam o risco de serem exterminados por Hamã, sendo salvos pela intervenção da Rainha Esther, que era judia.
O Acontecimento está registado no "Livro de Esther", sendo um dos acontecimentos a recitação pública deste livros, para relembrar aos mais novos a história sofrida do povo judeu, que ao longo de milénios tem sido perseguido e não foram poucos os que os quiseram exterminar. O termo "Purim" que dizer sorteios, pois foi o método para o líder persa escolher o dia do extermínio dos judeus.
Para além de se ler o "Livro de Esther", distriui-se comida e dinheiro aos mais povres, doces às crianças, e festeja-se de maneira alegre, parecido ao carnaval dos países ocidentais. Daí entenderem o Purim como o carnaval dos judeus.
Um doce muito usado são os "Hosné Hamã" ou orelhas de Hamã, muito apreciado pelas crianças e não só.
Em Purim, existem 4 grandes Mitzov para o dia, que são:
1º- Ouvir a leitura pública, na sinagoga, do Livro de Ester.
2º- Oferecer comida e doces aos amigos (mishloach manot).
3º-  Praticar a caridade (matanot le'evionim).
4º- Comer uma refeição de festa (Seudat Purim). 
Meguilat Esther (Livro de Estér) e as Orelhas de Hanã.

Abominavel assassinato de família judia

O Antisemitismo continua.

Uma família foi assassinada no sábado passado, na Cisjordãnia, o mobil do crime é de fundo etnico e religioso, morreram por serem judeus. A Comunidade internacional repudiou imediatamente o ato tresloucado de fanáticos palestinianos que puseram uma vez mais em causa as tentativas de diálogo para a paz.
Não pode haver paz na política emquanto não existir paz nos corações de cada um de nós, a xenofobia, o preconceito racial, etnico, religioso e de classes é o grande motor das desigualdades, da fome, da pobreza e da guerra.
HaShem nosso D-us não permita mais que isto volte a acontecer,, mas fundamentalmente que não permita mais que o Mundo aceite como se nada fosse a morte de famílias inteiras por serem judias.
A família Foger pai, mãe e três crianças de 12, 11 e 3 anos foram barbaramente esfaqueados até à morte no Colonato de Itamar, onde antes já havia tido problemas de violencia anti-semita.

Por Filipe Leal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores