A Incorporeidade de D-us

D-us é segundo nos ensina a Toráh, um Ser Supremo, criador, e Incorpóreo, sendo apenas Espírito, e não tendo principio tal como não terá fim, por Ele todas as coisas vieram a ser criadas.

Além da Torá, há escritos rabinicos que nos falam sobre a natureza divina de HaShem, o Eterno, um desses livros é do Rabbi Moshê Cahim Luzzatto, cujo título é O Caminho de D-us, e é precisamente um ensaio sobre os fundamentos da fé judaica.

Moshê Chaim, começa o seu livro assim: "[1] Todo o Judeu deve saber e acreditar que existe um ser primário, sem começo nem fim, que trouxe todas as coisas para a existência, e continua sustentando-as. Este Ser é D-us. [2] Outrossim, é necessário saber que a verdadeira natureza de D-us não pode ser compreendida por outro que não seja Ele Mesmo.

Mais adiante, Chaim, não fala propriamente da incorporeidade do Eterno, muito possivelmente porque não podemos pensar e imaginar o que deveras não existe, apenas se refere à simplicidade do Ser de D-us de Quem emanam todas as coisas.

Luzzatto refere que o mundo denso, (físico), emana do mundo espiritual, sendo o Mundo espiritual o que é próprio do Eterno, e dos seres celestiais, que influenciam todas as coisas do mundo físico.

Moshê Maimonides, o Rambam, fala-nos de D-us no sentido de imagem, que o homem lhe atribuiu, devido à sua necessidade de compreender a Ação do Eterno e da Sua Divina bondade, assim é denominado de Elohim (masculino) na sua Ação, mas é contudo denominado Yawéh (H.W.H.Y.) O Tetragrama sagrado, que é tido como feminino devido à sua bondade e natureza.

Contudo em Bereshit 1,26 em que diz: "Façamos o Homem à nossa imagem e semelhança", aqui atribui-se o valor das imagens, e da representação antropomórfica de D-us no cristianismo, algo contrário aos ensinamentos toraídicos, visto que há aqui dois aspectos a ter em conta: 1.º no plural Elohim, fala de nós, devido aos seus vários atributos, 2.º a imagem e semelhança do Homem com D-us, é a sua natureza espiritual, que emana do próprio D-us.

No entanto poderíamos acrescentar e como forma de complementar os ensinamentos rabinicos, que a natureza espiritual de D-us e sobre a sua incorporeidade, levam-nos a ter a noção clara que nem um Ser poderá ser a encarnação de D-us, o Mashiach é o Enviado do Eterno, mas não será o Eterno em Si mas sim o ungido.

Mordechai Shlomo



Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores