O Monoteísmo Judaico

D-us é revelado na Toráh, particularmente em Devarim 6,4, (Deuteronómio) pela oração do Shemá: “Ouve Óh Yisrael, O Senhor é o teu D-us, O Senhor é UM” (שְׁמַע יִשְׂרָאֵל האֱלֹהֵינוּ האֶחָד) “Shmáh Yisrael, Ad-nai Eloheinu, Ad-nai Echad” Temos assim uma oração que é também um mandamento, o mandamento de recita-la como expressão máxima da nossa fé.

O Judaísmo surge como a afirmação de um povo que é contrário às tradições e crenças dos seus vizinhos pagãos, recusando-se a adorar ídolos de imagens, ou de reis divinizados, os homens tementes a D-us, submetem-se à crença de um Ser Supremo, Eterno, Uno e Invisível, que se revelou no passado a Enoch e a Noé, e mais tarde a Abraão, o pai da fé, que a propagou a seus filhos, lutando contra a idolatria, e ensinando a incorporeidade do Eterno, mas denominando-o de Elohim.

Se tivermos em conta que no hebraico o final de uma palavra no plural masculino é “im” e que D-us é designado de El, então pensaríamos que a Toráh falan-nos em Bereshit, de vários deuses, mas não é assim de facto. O plural de Elohim, refere-se aos poderes do Eterno, da sua omnipotência, omnipresença e omnisciência. Contudo ao crente a natureza do Eterno é inatingível na sua compreensão, pelo que não o pode representar nem definir com conceitos meramente humanos.

O facto de os hebreus / israelitas, acreditarem num único D-us supremo, tal como ordenado no Decálogo ou Dez Mandamentos (עשרת הדברים) que quer dizer As Dez Palavras, e assim forma-se a crença num D-us único, o Ser Criador e invisível, eterno e cuja imagem é meramente espiritual, não nega a razão, devido a que no pensamento judaico razão e fé não são contrários, mas antes complementares, tal como o dia e a noite, o homem e a mulher, um é o complemento do outro, nesse sentido podemos começar a compreender o caminho do monoteísmo judaico a partir dos ensinamentos toraídicos.

Assim, o que melhor define a fé judaica e a sua fidelidade são os treze princípios de Moshê Maimonides, e que são o nosso credo:

1. Creio com plena fé que D-us é o Criador de todas as criaturas e as dirige. Só Ele fez, faz e fará tudo.

2. Creio com plena fé que o Criador é Único. Não há unicidade igual à d’Ele. Só ele é nosso D-us; Ele sempre existiu, existe e existirá.

3. Creio com plena fé que o Criador não é corpo. Conceitos físicos não se aplicam a Ele. Não há nada que se assemelhe a Ele.

4. Creio com plena fé que o Criador é o primeiro e o último.

5. Creio com plena fé que é adequado orar somente ao Criador. Não se dever rezar para ninguém ou nada mais.

6. Creio com plena fé que todas as palavras dos profetas são autênticas.

7. Creio com plena fé que a profecia de Moshê Rebênu é verdadeira. Ele foi o mais importante de todos os profetas, antes e depois dele.

8. Creio com plena fé que toda a Torá que se encontra em nosso poder foi dada a Moshê Rebênu.

9. Creio com plena fé que esta Torá não será alterada e que nunca haverá outra dada pelo Criador.

10. Creio com plena fé que o Criador conhece todos os atos e pensamentos do ser humano.

11. Creio com plena fé que o Criador recompensa aqueles que cumprem Seus preceitos e pune quem os transgride.

12. Creio com plena fé na vinda de Mashiach. Mesmo que demore, esperarei por sua vinda a cada dia.

13.Creio com plena fé na Ressurreição dos Mortos que ocorrerá quando for do agrado do Criador.


Mordechai Shlomo




Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores